Como cortar o efeito do MD (MDMA)

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

É grande o número de pesquisas de pessoas que vão à internet pesquisar sobre como cortar o efeito do MD, que é um tipo diferente de ecstasy muito utilizado por jovens. A busca por informação é importante, mas deve ter muito cuidado para não cair em armadilhas da internet.

É importante ressaltar que é impossível tomar medidas para cortar o efeito do MD, porém existem algumas formas de auxiliar na diminuição dos sintomas causados pela droga. Pensando no perigo que essa substância pode causar, a Núcleo Viver Sóbrio preparou esse artigo sobre o assunto para você entender o potencial nocivo do MD. Confira:

O que é MD ?

O 3,4- metilenodioximetanfetamina (MDMA) mais conhecido como MD, é uma droga potente podendo ser caracterizada como uma versão diferente e mais forte do ecstasy ou lança perfume no formato de pó cristalizado.

A droga age no cérebro e influencia milhares de sensações, podendo provocar euforia, bem – estar, distorções da percepção e alucinações. Essa droga também pode ser conhecida como bala, balinha, e “a droga do amor”.
Quais são os efeitos do MD?

O MD é uma droga de caráter estimulante, que costuma provocar reações como:

  • Euforia;
  • Alucinações;
  • Sensibilidade ampliada;
  • Distorções perceptivas;
  • Desejo sexual aumentado.

O que ninguém fala são as reações negativas, que podem até mesmo ser fatais. São elas:

  • Risco de parada cardíaca;
  • Ansiedade;
  • Rigidez Muscular;
  • Edema cerebral;
  • Ansiedade;
  • Desregulação dos neurotransmissores.

Como cortar o efeito do MD?

Infelizmente, não há como cortar o efeito da droga de maneira instantânea, apenas tomar medidas que poderão facilitar o processo e fazer com que o organismo se recupere mais rapidamente.

São elas: Baixe os níveis de cortisol – É necessário diminuir os níveis de cortisol para atingir o reequilíbrio, relaxando e diminuindo o estresse causado pela droga.

Ter uma pessoa de confiança ao lado.

Procure um lugar tranquilo, para evitar que os efeitos potencializem ainda mais os efeitos.
Quais cuidados tomar com uma pessoa que está sob efeito do MD?

Convulsões

É necessário sempre ter muito cuidado com a pessoa que está sob o efeito do MD, principalmente se houver casos de convulsões. Nestes casos, é preciso garantir que ela fique de lado, para evitar que ela se engasgue, seja com vômitos ou com a própria língua.

Aquecimento Corporal

Um dos efeitos do êxtase é elevar a temperatura corporal, devido a isso é recomendado em muitos casos o banho gelado que pode ajudar a ter uma recuperação muito mais rápida.
Consumo de água moderadamente

 

A sede excessiva é um dos sintomas mais comuns ao utilizar MD. Porém, é importante que a ingestão de água seja feita de maneira moderada, para evitar edemas e até mesmo a eliminação de sais minerais além dos níveis adequados.

Quais são os sintomas de abstinência de MD?

Podem variar a intensidade dos sintomas da abstinência, porém, os sintomas são mais comuns incluem:

  • Paranoia
  • Fadiga
  • Depressão
  • Variações intensas de humor
  • Náusea
  • Vômito
  • Dores lombares
  • Redução do apetite
  • Cefaleia
  • Visão turva.
  • Crises de ansiedade excessiva
  • Raciocínio debilitado
  • Confusão Mental
  • Ranger involuntário dos dentes
  • Desmaios e arrepios
  • Falsa sensação de afeto

Quais são os efeitos do uso prolongado do MD?

Já foi citado vários dos efeitos a curto prazo que o consumo de MD pode provocar no organismo, agora iremos falar sobre o uso a longo prazo que causa muitos prejuízos à saúde. O mais comum e preocupante é com o hormônio da felicidade mais conhecido como serotonina ter sua capacidade drasticamente reduzida, consequentemente, elevando a chances de quadros depressivos.

Devido a isso, muitas vezes o usuário começa a apresentar perturbações comportamentais e mentais, como dificuldade de tomar decisões, ataques de pânico, paranoias, impulsividade, perda do autocontrole, dificuldade de memória e morte súbita por colapso cardiovascular, além de apresentar limitações na fala e na função visual.

Outro dos efeitos a longo prazo é a lesão no fígado que aumenta de tamanho e tem tendência a sangramentos que podem evoluir para hepatite fulminante dependendo do grau da toxicidade podendo causar a morte na falta de um transplante de fígado.

No coração há a possibilidade de desenvolver problemas por conta da aceleração do ritmo cardíaco e o aumento da pressão arterial que em um futuro próximo podem levar à ruptura de alguns vasos sanguíneos. E por fim, citando o uso da droga em relação a intensa atividade física pode provocar o aumento da temperatura corporal, consequentemente, causando hemorragia interna e até mesmo a morte.

O que fazer para não ter uma “bad trip”?

“Bad trip “ é uma expressão em inglês que traduzida é como uma viagem ruim, o termo viagem refere-se a uma jornada mental que provoca várias sensações psicológicas e fisiológicas desagradáveis a partir do consumo da droga.

A bad trip acontece quando uma quantidade muito acima do que o corpo consegue metabolizar, consequentemente, ele fica sobrecarregado e parte do conteúdo biológico se torna um hormônio relacionado ao estresse e a tristeza conhecido como cortisol. Após isso ela se manifesta em diversas formas como: delírios, ansiedade, irritabilidade, crise de pânico e muito mais.

Ao contrário do que muitos pensam, não há como ter controle absoluto para evitar a bad trip, por mais que o indivíduo tenha uma falsa sensação de controle decorrente de suas experiências oferecidas pela droga.

O que fazer quando se tem uma bad trip?

O primeiro passo é tentar acalmar o indivíduo, levá-lo a um lugar mais afastado e calmo e mantê-lo lúcido. Após isso, é recomendado procurar por suporte e realizar tratamento em uma clínica de reabilitação.

Infelizmente, o MD se transformou em uma droga que pode ser encontrada facilmente em festas e festivais do mundo inteiro. O público jovem e de classe média alta é hoje o seu principal consumidor.

Geralmente, os pais não conseguem perceber as alterações causadas pelo uso, porque muitas vezes aparenta apenas um quadro de ressaca.

Os perigos envolvidos são muitos: o uso excessivo e a chance de um quadro de dependência química, a falta de controle sobre os ingredientes utilizados e, é claro, os danos causados à saúde, o consumo pode até causar a morte.

Se você sente que está precisando de ajuda ou quer auxiliar um amigo ou familiar, procure auxílio médico especializado o quanto mais rápido possível.

No Núcleo Viver Sóbrio, nós oferecemos um tratamento individualizado, que busca atender as necessidades de cada paciente. Entre em contato conosco para saber mais!

Call Now Button